www.formulasmagistraischinesas.com.br

Dr. h. c. Sérgio Tinoco Panizza

Farmacêutico Industrial - Presidente do Conselho Brasileiro de Fitoterapia (CONBRAFITO) - Titular da Agricultura no Comitê Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do governo federal pelo Conselho Brasileiro de Fitoterapia - Membro Comissão de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo (CRF-SP) - Proprietário e Farmacêutico (desde 1993 ) pela Farmácia Phytoshop fitoterápicos e homeopáticos - Presidente da Associação Brasileira de Fitoterapia (ABRAPHYTO) - Membro da Secretaria Executiva no Conselho Gestor Estadual da Rede Fito Mata Atlântica junto ao Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos – Setor Comercial. -Especialização em Acupuntura pelo Centro de Estudos de Acupuntura e Terapias Alternativas - 2009 - Autor vários livros: Como prescrever ou recomendar plantas medicinais e fitoterápicos (2010) e Uso tradicional de plantas medicinais e fitoterápicas( 2012).

Amazônia: Em busca da cura Perdia (2014).

FARMÁCIAS PHITOSHOP

Rua Vergueiro, 1913 - Vila Mariana, São Paulo - SP

Av. Jorge João Saad, 110 - Vila Inah, São Paulo - SP

Segundo Dr. Panizza da fitoshop  farmacologia da medicina convencional do Ocidental existe há somente 140 anos. 

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) se compõe de dieta, farmacoterapia, acupuntura e moxabustão, massagem Tuiná, quiroprática, exercícios terapêuticos (Taiji, Qigong, Liangong) e meditação.

A farmacoterapia constitui 80% da MTC. Utilizam-se na MTC minerais, animais e vegetais. Para estudar as substâncias, numa época sem bioquímica ou farmacologia, os chineses usaram observações da natureza, em pessoas normais e em estudos clínicos.

Qualquer substância alimentar ou medicamentosa devem ser inicialmente analisadas de acordo com Yin Yang (4 Qi), os 5 Elementos (sabores) e as 4 direções.

Na fase seguinte se estudam seus efeitos terapêuticos, que no fundo dependem dos achados iniciais em termos de Yin Yang e 5 Elementos. Assim, são as classes terapêuticas que prevalecem na hora de montar os tratamentos.

1 – Yin e Yang

Tudo que existe no universo são classificados em Yin e Yang. Para dividir as substâncias alimentares e medicamentosas, valem as sensações de frio e quente percebidas na ingestão. Para mostrar as diferenças, subdividiram o frio em frio e fresco; e o quente em morno e quente. Esta divisão foi denominada de 4 Qi.

O frio e o refrescante são apenas graduações do mesmo fenômeno Yin, tal como o morno e o quente, ambos Yang. Existem também as substâncias neutras, isto é, nem fria nem quente.

Os fármacos que desintoxicam, dispersam o calor, ou dispersam o fogo são de natureza fria e servem para combater as Doenças de Calor. Ex.: Coptidis Rhizoma, Scutellariae Radix e Talcum Fibrosum.

Os remédios que aquecem, dispersam o frio, ou recuperam o Yang são de natureza quente e combatem as Doenças de Frio. Ex.: Zingiberis Rhizoma, Cinnamomi Cortex, Aconiti Lateralis Radix Praeparata e Evodiae Fructus.

2 – Cinco Elementos

Para classificar as substâncias segundo os 5 Elementos, existem os critérios sabor, cor e cheiro. A técnica mais utilizada é determinar os 5 sabores: azedo, amargo, adocicado, picante e salgado. Existem ainda o insípido e o adstringente (azedo mais forte). Cada sabor apresenta efeitos específicos e órgãos indicados.

O picante superficializa as doenças e provoca a sudorese, regula a respiração e abre os poros da pele, e assim combate Vento-Frio e Vento-Calor. Indica-se para doenças de Fei e Dachang. Ativa a circulação de Qi /Xue. O sabor picante provém de resinas, óleo-resinas, óleos voláteis, isotiocianatos e álcoois.

O salgado resolve a secura, é laxativo, relaxa as contrações, amolece os nódulos e tumores, indica-se para doenças de Shen e Pangguang. Serve para limpeza intestinal. O sabor salgado provém de sais minerais dissolvidos nos mares, como sódio, potássio, cálcio, fósforo, iodo, magnésio, silício, selênio etc.

O azedo tem efeitos adstringentes: fecha poros e orifícios, provoca contraturas, produz saliva e diminui a sede. Indica-se para doenças de Gan e Dan. Evita a manifestação das doenças, indica-se para sudorese, diarreia, tosse e espermatorreia. O sabor azedo provém de taninos e ácidos como ascórbico, cítrico, málico, oxálico, láctico etc.

O amargo dispersa Calor, apaga Fogo, efeitos antibiótico e antitérmico.  Tem efeitos emético, laxativo e diurético, desta forma, seca a Umidade.  E endurece os tecidos. Indica-se para doenças de Xin e Xiaochang. O sabor amargo provém de alcalóides, sesquiterpenos e alguns glicosídeos.

O adocicado nutre Qi /Xue, regula digestão, melhora espasmos, neutraliza toxinas; indica-se para doenças de Pi e Wei. Evita o cansaço, dá relaxamento muscular e geral. Melhora o sabor dos demais componentes de uma fórmula e neutraliza seus efeitos colaterais. O sabor adocicado provém de açúcares e amidos.

Os remédios de sabor neutro facilitam a diurese e assim, reduzem inchaços, combinam-se aos outros nas formulações.

O adstringente fecha os escapes de Qi e de fluidos (suor, urina, fezes, esperma).

Exemplos:

Coptidis Rhizoma - amargo e frio.

Artemisia Herba - amarga e morna.

Angelicae Sinensis Radix - adocicada, picante e morna.

Perillae Folium é picante, morno, indica-se para doenças causadas pelo vento e pelo frio.

Menthae Haplocalycis Herba é picante e refrescante, indica-se para doenças de vento e calor.

O Alho é picante e morno. A cebola é picante e morna. O nabo é picante, adocicado e refrescante.

A Ostra é adocicada, salgada, e neutra.

Remédios doces: Jujubae Fructus, Melle, Saccharum Granorum (açúcar de malte), Glycyrrhizae Radix et Rhizoma.

Remédios salgados: sal, algas, alimentos do mar.

Na Medicina Oficial, tende a se proibir os alimentos doces nas perturbações do aparelho digestivo, enquanto que na Medicina Oriental, recomenda-se administrar comida adocicada, é o princípio da homeopatia.

Cada sabor é necessário a um Elemento. A deficiência de um sabor é prejudicial ao Elemento correspondente. Entretanto, o excesso também é prejudicial, ao próprio Elemento e ao Elemento dominado.

 

 

 

 

 

 

Como regra geral, é necessário equilibrar a ingestão do sabor de um órgão afetado.

Nos ataques a um órgão (que passa a estado de agitação), deve ser equilibrado (tonificado) o órgão dominado ministrando o sabor correspondente e não ministrar o sabor para o dominador. Isto evita a progressão da doença pelo ciclo Ko.

Para tonificar, ministrar o sabor do próprio órgão em deficiência.

 

3 - 4 Direções

As 4 direções são: subir, descer, flutuar e afundar. Indicam a direção dos efeitos terapêuticos. Subir e Flutuar indicam remédios que fazem subir os sintomas e exteriorizar as doenças, dissolver nódulos. Descer e Afundar representam remédios que fazem descer os sintomas e interiorizar as doenças, têm efeitos tipo adstringente, laxativo, controlam a efervescência e acalmam crise asmática. Quero esclarecer o seguinte: a interiorização não significa piorar a doença atingindo órgãos e vísceras, indica na verdade aprofundar até o Dachang e ser eliminada pelas fezes; ou até o Shen e ser eliminado pela urina.

Os alimentos e fármacos são prescritos conforme a localização ou a evolução dos sintomas. As doenças podem estar localizadas no corpo nas partes Superior ou Inferior, na Superfície ou na Profundidade. As doenças ainda não completamente estabelecidas podem evoluir para parte Superior, para parte Inferior, para Superfície ou para Profundidade. Em geral, os problemas da parte Inferior e Interior andam juntos, os problemas da parte Superior e da Superfície caminham interligados.

 

Sintomas /doenças da parte Superior: dor de cabeça, congestão facial, olhos vermelhos, tonturas

Sintomas /doenças evoluindo para cima: vômitos, azia, soluço, refluxo, tosse, crise asmática

Sintomas /doenças da Superfície: Vento-Frio, Vento-Calor, afecções de pele, conjuntivo, articular ou muscular

Sintoma /doenças evoluindo para superfície: sudorese excessiva, sudorese noturna, exantema

 

Sintomas /doenças da parte Inferior: prisão de ventre, hemorroidas, varizes, prolapso uterino ou retal

Sintomas /doenças evoluindo para baixo: diarreia, poliúria, metrorragia, edema dos membros inferiores

Sintomas /doenças da profundidade: afecções orgânicas e viscerais, prisão de ventre crônica, nódulos e tumores

Sintomas /doenças evoluindo para interior: gripe evoluindo para pneumonia, dor abdominal, prisão de ventre aguda (ex: durante resfriado)

 

As doenças que acometem a parte Superior ou que estejam na Superfície do corpo (afecções de pele, conjuntivo, articular ou muscular) devem receber remédios de Subir ou Flutuar. As doenças que acometem a parte Inferior ou que estejam no Interior do corpo (afecções orgânicas e viscerais, constipação) devem receber remédios de Descer ou Afundar.

As doenças que estejam avançando para a parte Superior do corpo (Ascensão do Yang do Gan, Calor do Gan na fase inicial) recebem remédios de Descer. As doenças que estejam avançando para a parte Inferior recebem remédios de Subir.

Cefaleia, congestão facial, olhos vermelhos, tonturas, vômitos e tosse são doenças que "subiram". Prolapso uterino ou retal, diarreia, poliúria, hemorroidas são doenças que "desceram". É necessário "flutuar" uma doença Superficial para não Interiorizá-la e piorar a evolução, e serve para eliminá-la pela sudorese, por exemplo, usam-se cebola e gengibre para uma gripe. "Afundar" pode ser indicado para sudorese excessiva a fim de não perder líquido demais, usando a ostra.

De acordo com a densidade específica das drogas, aquelas mais leves têm direções de Subir ou Flutuar. As mais pesadas geralmente são para Descer ou Afundar. As flores e folhas dos vegetais são para Subir ou Flutuar. As frutas, sementes e os minérios são para Descer ou Afundar. Tais regras não são absolutas.

A preparação do remédio altera sua direção, o sal ou o vinagre transforma a direção para Descer ou Afundar. O preparo com vinho ou com gengibre transforma para Subir ou Flutuar.

Os remédios picantes, adocicados, mornos ou quentes, geralmente são de Subir ou Flutuar. Os remédios salgados, azedos, amargos, frios, geralmente são de Descer ou Afundar.

Alguns médicos tradicionais chineses colocam numa escala numérica do mais Yin para mais Yang as 4 Direções: Afundar, Descer, Subir e Superficializar; correspondendo a frio, fresco, morno e quente; e aos sabores amargo, salgado e azedo (ambos Descer), adocicado e picante.

 

4 - 5 Cores

Cada cor está ligado a um Elemento. As cores são: verde, vermelha, amarela, branca e preta. 

O pigmento verde natural mais importante é a clorofila, há outros como sulforafano, isotiocianato e indois.

Os pigmentos vermelhos ou alaranjados correspondem aos licopenos, carotenoides, antocianinas e ficobiliproteínas.

Os pigmentos amarelos mais comuns são os flavonóides.

O grupo da cebola, branco, contém alicina.

As plantas de cor escura contêm fitomelaninas, outros compostos nitrogenados similares a melanina, ou ácido fólico.

 

5 – 5 Odores

São rançoso, queimado, aromático, cheiro de peixe e pútrido. Pouco aplicado, mas podem ajudar na pesquisa de algumas substâncias.

 

6 - Exemplos com Alimentos:

Fitobuscador Guia Prático - Prescrição dos produtos da medicina tradicional chinesa -

Texto retirado do livro  autores Kwang, Panizza 2017

www.formulasmagistraischinesas.com.br

 

Farmácia e Laboratório Phytoshop Eireli 

CNPJ: 66.088.139/0001-47 

Av. Jorge João Saad, 110 - Vila Inah - São Paulo 

(11) 3772-6644    Whatsapp: 981744044
Farmacêutica:: Dra.Thais Lopes de Macedo - CRF.SP: 75378 
CMVS: 35503080147700438510/P.1891114 - AFE: P.25351202134/200284/01158600

Unid. Vila Mariana - Rua Vergueiro, 1913 

(entre metrô Ana Rosa e Paraíso). 

(11) 5572-4740    Whatsapp: 98702-0162

@2017 criado por Medicina Tradicional Chinesa